Contato

Perguntas Frequentes

ATENÇÃO!
  • Um médico deverá ser consultado sobre todos os detalhes desta doença. Mesmo os já descritos abaixo.
  • Opiniões médicas sobre como tratar a doença podem variar. Se achar necessário, consulte mais de um médico.
  • Sempre siga as indicações dos médicos e das bulas.
  • Não tente se automedicar.

Conteúdo

  1. 1 O Vírus
    1. 1.1 O que é herpes simplex?
    2. 1.2 Eu tenho herpes simplex?
    3. 1.3 É normal ter herpes simplex?
    4. 1.4 Qual a diferença entre os dois tipos de herpes simplex?
    5. 1.5 Quais são os outros vírus do herpes?
  2. 2 A Transmissão
    1. 2.1 Como o herpes simplex é transmitido?
    2. 2.2 Eu posso doar sangue?
    3. 2.3 Quanto tempo depois do contato com a pessoa infectada pelo herpes simplex irá demorar para aparecerem os sintomas?
    4. 2.4 Eu posso espalhar a infecção pelo meu corpo?
    5. 2.5 O herpes simplex pode ser transmitido da boca para os órgãos genitais e vice-versa?
    6. 2.6 O vírus é indicação de infidelidade?
    7. 2.7 Como eu posso ter sido infectado se meu parceiro não tem o vírus?
    8. 2.8 Eu posso transmitir o vírus ao meu parceiro se eu não tiver sintomas?
    9. 2.9 Usar preservativos pode prevenir a transmissão do vírus?
    10. 2.10 Eu posso pegar herpes simplex de toalhas, copos ou outros objetos?
    11. 2.11 O que é projeção assintomática?
  3. 3 O Tratamento
    1. 3.1 Eu preciso de tratamento?
    2. 3.2 Como um médico pode me ajudar?
    3. 3.3 E se eu tiver recorrências frequentes?
    4. 3.4 Afinal, por que ele reaparece?
    5. 3.5 Com que frequência ele volta?
    6. 3.6 O que eu posso fazer para prevenir recorrências frequentes?
    7. 3.7 Às vezes eu tenho sensações/dores estranhas pelas nádegas ou na perna. O que isso significa?
    8. 3.8 O que eu posso fazer para diminuir o desconforto e acelerar minha recuperação?
  4. 4 Outras Perguntas
    1. 4.1 Eu tenho um risco maior de ter câncer cervical?
    2. 4.2 Eu posso doar sangue?
    3. 4.3 O herpes simplex pode se tornar um caso sério de saúde?
    4. 4.4 Existe mais alguma coisa que devo saber sobre herpes facial?

O Vírus

O que é herpes simplex?

O Vírus herpes simplex é um dos vírus da família herpes, os quais uma vez em seu corpo irão permanecer nele. Existem dois tipos: Herpes simplex Tipo 1 e Tipo 2. Ambos podem causar sintomas nas genitais (herpes genital), na boca (herpes labial ou oral), nas mãos e dedos (chamada panarício herpético) e raramente em outras regiões do corpo.

Eu tenho herpes simplex?

A única forma de descobrir o que está causando um problema é indo ao médico. Nós recomendamos que você visite um dermatologista. Se você não tem plano de saúde, provavelmente terá um profissional em seu hospital público para ajudá-lo. Diga a ele que você acha que tem herpes simplex.

Lembre-se que o laudo médico só poderá ser feito se você estiver com os sintomas, então não lave suas genitais ou passe água pelo menos três horas antes da consulta. Isto poderia eliminar traços do vírus, bactéria, etc e dificultar o diagnóstico do médico. Só é possível diagnosticar o herpes simplex quando os sintomas estão presentes. Então não adie.

É normal ter herpes simplex?

Cerca de 6 a cada 10 pessoas carregam o tipo 1 e cerca de 1 a cada 10 carrega o tipo 2. A ocorrência é maior na população sexualmente ativa. A maior parte das úlceras (feridas) e bolhas faciais e bucais são causadas pelo tipo 1. O herpes simplex nas genitais pode ser tipo 1 ou tipo 2.
Quais sintomas eu posso ter?

Os sintomas podem iniciar com coceira, formigamento, inflamação e desconforto na área afetada. Também podem aparecer sintomas da gripe, dor nas costas, dor de cabeça, febre e dor e inchaço médio das glândulas linfáticas na virilha, axilas e pescoço.

Nas regiões dos pelos pubianos, na base do pênis ou do saco escrotal, nos dedos, mãos e em outras partes do corpo, é mais comum que apareçam bolhas, pequenas manchas ou protuberâncias vermelhas, que podem ser muito dolorosas. Estas podem estourar e formar úlceras (feridas) que irão criar casca e cicatrizar enquanto uma nova pele abaixo é formada. Nas regiões mucosas, ou seja, abaixo do prepúcio a na parte interna dos lábios vaginais, o vírus causa úlceras que cicatrizam diretamente em uma nova pele. Isto normalmente não gera cicatrizes, mas a nova pele pode ficar um pouco mais pálida por um tempo. O primeiro episódio pode durar de 2 a 4 semanas.

Se você tiver recorrências (se aparecerem novamente), não serão como da primeira vez. A primeira vez é a pior, já que você ainda não tem os anticorpos específicos para combaterem o vírus. Se você tiver recorrências, os anticorpos irão agir logo e você ficará melhor mais rapidamente.

Quando ocorrem as recorrências, antes de o vírus se manifestar normalmente aparecem os sintomas da gripe (como fraqueza, mal-estar e sonolência). Portanto fique atento sempre que sentir esses sintomas. Uma pequena porcentagem da população tem recorrências frequentes. Se este é seu caso, leia a seção.

Qual a diferença entre os dois tipos de herpes simplex?

Herpes genital pode ser causada tanto pelo tipo 1 quanto pelo tipo 2 de herpes simplex. A única diferença pra você é:
  • O Tipo 1 é mais provável que apareça novamente quando é oral. Este tipo não é tão recorrente nas genitais.
  • O Tipo 2 é mais provável de recorrer quando afeta as genitais.
Não há diferença entre os sintomas visíveis causados por ambos os tipos, portanto só é possível diferenciar qual vírus você tem através de um exame em laboratório. Ambos os tipos são chamados vírus herpes simplex.

Quais são os outros vírus do herpes?

As variações mais comuns são:
  • Varicella-zoster (também chamada de herpes zoster). - Este vírus causa catapora e é ocasionalmente confundido com herpes simplex. Sua recorrência na idade adulta pode causar dolorosos danos nervosos.
  • Cytomegalovírus (CMV) e Epstein Barr (EBV). - Estes vírus não causam os sintomas do herpes simplex, mas podem causar sintomas da gripe.
Existem ainda outras variações do vírus, mas estas são as mais corriqueiras.


A Transmissão

Como o herpes simplex é transmitido?

O vírus é transmitido diretamente da área infectada pelo contato pele com pele com fricção. Ele entra facilmente pelas membranas mucosas, ou seja, pela nossa região úmida de pele que são a boca, os olhos e a área genital/anal. Também pode entrar por um corte ou simplesmente penetrar na pele comum em outras partes do corpo (dedos, joelhos, etc) quando estas entrarem diretamente em contato com a área infectada.

Você poderá transmiti-lo sempre que o vírus estiver presente na superfície da pele, logo, ao primeiro sinal de uma recorrência (formigamento, dores, coceira, sintomas de gripe, etc.) até a pele normal ter crescido de volta.

Eu posso doar sangue?

Sim, menos durante a primeira aparição. O vírus não está no sangue, mas durante sua primeira ocorrência ele pode ser encontrado na corrente sanguínea. O sangue poderá ser doado inclusive durante recorrências, contanto que a pessoa esteja se sentindo bem e saudável.

Quanto tempo depois do contato com a pessoa infectada pelo herpes simplex irá demorar para aparecerem os sintomas?

Normalmente leva entre dois e sete dias para que os primeiros sintomas apareçam, onde de quatro a cinco dias é o prazo mais comum. Algumas pessoas nunca pegam. Outras pessoas pegam, mas não manifestam sintomas.

Eu posso espalhar a infecção pelo meu corpo?

A infecção é normalmente limitada a uma única área do corpo, mas tome sempre cuidado com as áreas mucosas como a boca e as genitais (especialmente femininas). Portanto, sempre que suas mãos entrarem em contato com a região afetada, não deixe de lavá-las com água e sabão. Usar sempre que possível roupas limpas e arejadas também é importante, especialmente para evitar infecções por bactéria.

O herpes simplex pode ser transmitido da boca para os órgãos genitais e vice-versa?

Sim.

O vírus é indicação de infidelidade?

Não. Ocasionalmente, o vírus poderá aparecer anos após o primeiro contato. Deste modo, é possível que ele surja inesperadamente durante um longo relacionamento fiel. Então é importante saber que o aparecimento do herpes simplex não é prova de infidelidade.

Como eu posso ter sido infectado se meu parceiro não tem o vírus?

Três quartos das pessoas com herpes simplex têm sintomas tão fracos que nem percebem que estão infectados. Sendo assim, elas podem fazer sexo enquanto o vírus está ativo e não perceber. Alguns sintomas fracos podem aparecer como uma pequena bolha, um pequeno corte ou uma pequena região com coceira. Apesar de pequenos, estes sintomas são normalmente muito mais sensíveis e dolorosos do que deveriam ser. Quando as pessoas com estes pequenos sintomas aprenderem a reconhecê-los, deverão passar a evitar sexo neste período.

Eu posso transmitir o vírus ao meu parceiro se eu não tiver sintomas?

Quando o vírus está inativo (adormecido) dentro das células nervosas, ele não poderá infectar seu parceiro. Se existe um vírus no local onde você sente os sintomas, ele poderá ser transmitido.

Um teste de anticorpos (exame de sangue) poderá ser feito pelo seu parceiro e mostrar que ele já possui o vírus. Neste caso, ele terá proteção parcial ou total contra o vírus.

Usar preservativos pode prevenir a transmissão do vírus?

O vírus não pode atravessar um preservativo, por isso utilizá-lo é uma boa ideia. Se o vírus estiver ativo em uma região fora da protegida pelo preservativo, a transmissão ainda poderá ocorrer. O preservativo feminino cobre uma região maior que o masculino, portanto pode ser mais seguro.

Eu posso pegar herpes simplex de toalhas, copos ou outros objetos?

O vírus é transmitido pela pele, e não por objetos. É um vírus delicado e que morre rápido quando fora da pele onde está localizada a úlcera.

O que é projeção assintomática?

A projeção assintomática (tradução livre do inglês Asymptomatic shedding) significa que o vírus pode estar presente na pele sem causar nenhum sintoma. Se uma quantidade suficiente de vírus estiver sendo exposta na pele quando o contato direto ocorrer, o parceiro poderá ser contaminado.

A projeção assintomática é comumente associada ao herpes simplex porque muitas pessoas carregam o vírus sem saber – eles não veem ou sentem sintomas – portanto são ‘portadores assintomáticos’.

Cerca de 2 a cada 3 pessoas que contraem o vírus o adquirem de alguém que não sabe que está infectado. Pode ser dos lábios de um portador que não está ciente de uma úlcera no momento do sexo oral, dos dedos de alguém com uma crise local, ou do contato genital direto.

Pessoas com sintomas recorrentes também podem, ocasionalmente, espalhar o vírus de forma assintomática. Isto é mais comum nas semanas anterior e posterior a um episódio.
Em pessoas com recorrências, a projeção assintomática ocorre numa média de 2% das vezes para portadores do tipo 2 e 0,7% para portadores do tipo 1.
Quanto menos recorrências a pessoa tem, menor a chance de ter projeção assintomática.
A projeção assintomática tende a diminuir ao longo dos anos. É mais provável que ocorra no primeiro ano e muito menos possível que ocorra depois disso.

O vírus é mais comumente transmitido durante os primeiros quatro meses de um novo relacionamento; no entanto é comum parceiros estarem juntos há anos sem que o vírus seja transmitido para o outro.


O Tratamento

Eu preciso de tratamento?

Assim como a gripe, herpes simplex irá se curar sozinho. Algumas pessoas são mais afetadas que outras. Normalmente as infecções terminam mesmo sem nenhum tratamento. Mas existem alguns casos sérios, como veremos a seguir.

Como um médico pode me ajudar?

O médico pode prescrever drogas antivirais para acelerar a recuperação e reduzir a severidade do primeiro episódio. O aciclovir é o antiviral mais comum usado para este propósito. Você não precisa da droga se seu primeiro episódio for suave, ou se você já está quase recuperado antes de ver o médico.

Aciclovir também vem em creme, mas testes vêm mostrando que eles não funcionam muito bem, oferecendo zero ou quase nenhum efeito. Os fabricantes não recomendam que ele seja utilizado na membrana mucosa (a pele úmida interna), pois pode causar irritação por ser um local muito sensível.

E se eu tiver recorrências frequentes?

Muitas pessoas têm a infelicidade de ter recorrências frequentes. Nestes casos, o médico poderá prescrever o uso de antivirais por longos períodos para manter o vírus em estado inativo – talvez por seis meses de cada vez. Isto se chama “Tratamento Supressivo”. Para a maioria das pessoas ele não será necessário, seja porque seus corpos lidam com o vírus sem precisar de ajuda ou porque descobrem que adotar um estilo de vida mais saudável resolve o problema.

A maioria dos antivirais pode ser utilizada por vegans e vegetarianos.

Afinal, por que ele reaparece?


Quando não está ativo, o vírus trafega pelos nervos da pele até o gânglio (a junção de vários nervos abastecendo a mesma área). Aqui ele permanece em um estado dormente/inativo. Uma vez que você foi infectado, o vírus permanece em seu corpo, assim como catapora e outros vírus.

Os sintomas recorrentes ocorrem quando o vírus é reativado ou ‘acionado’. Ele viaja de volta até a superfície da pele por onde ele entra nas células gerando outra bolha, úlcera ou corte. Os sintomas recorrentes normalmente aparecem na mesma área que a primeira vez. Mas para algumas pessoas ele pode aparecer em uma região um pouco mais afastada - das genitais até as nádegas, por exemplo - dentro do mesmo dermatoma (região nervosa).

Algumas pessoas sentem dores, formigamento, queimação ou dores agudas na área afetada (perna, genitais ou nádegas) antecipando a recorrência. São chamados sintomas pródomos. Às vezes eles duram um tempo e depois desaparecem sem deixar nenhum sintoma aparente na pele.

Com que frequência ele volta?

Algumas pessoas não têm sintomas futuros, algumas têm recorrências frequentes. Um médico pode prescrever remédios antivirais para você tomar durante vários meses para evitar episódios.

O que eu posso fazer para prevenir recorrências frequentes?

Abaixo estão sugestões testadas e aprovadas:
  • Tente não se abater: o estresse é conhecido por afetar o sistema imunológico e diminuir a habilidade de lutar contra infecções. Quanto mais você souber sobre o vírus, menos preocupado ficará, e já que seu sistema imunológico trabalha melhor quando você não está estressado, por consequência você será uma pessoa muito mais saudável.
  • Dormir bem e evitar a fadiga são duas técnicas indispensáveis para quem quer ter seu sistema imunológico trabalhando bem.
  • Tenha uma alimentação balanceada, com muitas frutas e verduras (todos os dias).
  • Se em dúvida quanto à dieta, tome um multivitamínico. (Mas não exagere. Excesso de vitaminas também faz mal à saúde. Siga as instruções do fabricante ou de seu médico).
  • Pare de fumar e reduza o consumo de álcool.
  • Faça exercícios regulares: Mas não tente correr uma maratona logo no primeiro dia. Isto só fará sua resistência diminuir. 20 minutos de caminhada acelerada por dia é um bom começo.
  • A pele machucada poderá ocasionar no acionamento do vírus. Isto pode ser o resultado de andar a cavalo, bicicleta ou uso de calças e roupas de baixo apertadas.
  • Às vezes o próprio sexo pode ativar uma crise. Se você notar que isto acontece com frequência, tente utilizar lubrificantes como KY e depois lave a área com água fria.
  • Utilize cuecas de algodão ou seda. São melhores que as de tecido sintético.
  • Mulheres: Evitem meias-calças.
  • Evite exposição direta à luz do sol ou a raios ultravioletas de camas de bronzeamento artificial.
  • Se você preferir a ideia de um tratamento supressivo, poderá pedir ao seu médico. Funciona como ‘pílulas contraceptivas para o vírus’. Enquanto você toma o remédio, o vírus não pode se multiplicar apropriadamente e formar as bolhas. Pode ser tomado durante um curto período de tempo, para evitar que apareça durante um fim de semana ou feriado, por exemplo, ou durante um longo prazo de tempo se você é do tipo de pessoa que tem muitas recorrências. As drogas mais utilizadas são: Valaciclovir – que é mais forte que o aciclovir, no entanto mais caro - e Aciclovir, que pode ser manipulado em farmácias de manipulação mediante receita médica e custa cerca de 50% menos que nas farmácias convencionais. Estudos indicam que o uso do aminoácido L-Lisina ajudar o aciclovir a combater o herpes. Normalmente toma-se 200mg de aciclovir por dia somado a 1gr de L-Lisina. – CONVERSE COM SEU MÉDICO ANTES DE FAZER O TRATAMENTO A LONGO PRAZO!
  • Conversar com pessoas que têm experiência com o herpes simplex pode ser de grande ajuda. No Orkut existe uma excelente comunidade de apoio e troca de informações chamada “Eu odeio o vírus da herpes”. Se você quiser interagir sem ser reconhecido, pode criar um perfil falso e preservar sua identidade. Quase todos fazem isso.

Às vezes eu tenho sensações/dores estranhas pelas nádegas ou na perna. O que isso significa?

Ocasionalmente, o vírus do herpes simplex poderá causar a sensação de ardência na pele, dores profundas ou dores agudas na região genital. Quando elas ocorrem nas coxas ou nas nádegas, elas podem ser comparadas com dores no nervo ciático. Estes sintomas são chamados pródromos – ou sintomas prodromonais. Eles são um sinal de que o vírus está tentando se reativar. Às vezes as bolhas e úlceras irão aparecer logo em seguida, mas é comum que sua imunidade supere a ação do vírus antes que os sinais visíveis apareçam.

O que eu posso fazer para diminuir o desconforto e acelerar minha recuperação?

  • Se necessário, tome um analgésico, como ibuprofeno ou paracetamol. Isto reduz a dor e a inflamação. Sempre siga as instruções dadas pelo seu médico!
  • Lave suas mãos antes de tocar nas bolhas/úlceras, pois você poderia estar introduzindo uma bactéria no local. Isto poderia causar uma infecção adicional e atrasar o processo de recuperação.
  • Você também pode aplicar uma pomada anestésica local, como lidocaína 5%. Ela pode ser usada nas feridas genitais ou faciais.
  • Se você precisar de um anestésico mais forte, tente a Xilocaína 10% em spray. Use quando necessário diminuir a dor, como por exemplo, antes de urinar. Todos estes produtos estão disponíveis nas farmácias e não precisam de prescrição médica. Ocasionalmente, lidocaína e xilocaína podem causar sensibilidade da pele. Se isto fizer sua pele ficar ainda mais dolorida, pare de utilizar o produto e sua pele irá voltar ao normal.
  • Mantenha as úlceras umedecidas. Você pode aplicar, por exemplo, vaselina.
  • Mantenha a região limpa: lavar gentilmente uma vez por dia é o suficiente. Muitas pessoas consideram a utilização de uma solução de água morna com sal (uma colher de chá de sal para 500ml de água) muito aliviante. Gentilmente águe a área usando um pouco de algodão.
  • Evite sabonetes aromatizados e desodorantes.
  • Evite lavar a área exageradamente, pois isto pode aumentar a irritação da pele e atrasar a recuperação.
  • Após o banho, enxugue a região com cuidado utilizando um lenço ou use um secador de cabelo ajustado para o ‘vento frio’.
  • Para reduzir a coceira, mantenha a área o mais resfriada possível: Tente utilizar um pouco de gelo enrolado em um pano pelo tempo que você achar necessário. NÃO COLOQUE O GELO DIRETAMENTE EM CONTATO COM A PELE!
  • Mulheres que sentirem dor ao urinar durante o primeiro episódio, podem tentar urinar no chuveiro. Assim, a urina é diluída e o desconforto reduzido. Urinar em um tubo ou em uma garrafa também são soluções para prevenir que a urina entre em contato com as úlceras. Passar um pouco de vaselina nas úlceras pode servir de barreira contra a urina. Pode-se também passar lidocaína 15 minutos antes de urinar.
  • Não tente formas de acelerar a cicatrização, como furar as bolhas ou utilizar pomadas cicatrizantes – deixe a pele cicatrizar. Os sintomas irão sarar com ou sem tratamento.

Outras Perguntas

Eu tenho um risco maior de ter câncer cervical?

Não. Esta hipótese foi considerada durante algum tempo, mas pesquisas mostraram que outro vírus (o vírus papiloma) seria um provável causador do câncer cervical, e se uma mulher com este vírus também tiver o herpes simplex, as chances de desenvolver este tipo de câncer são maiores.

Eu posso doar sangue?

Sim. Não há risco de transmitir herpes simplex através do sangue. O vírus permanece nas células nervosas; apenas os anticorpos são encontrados no sangue. Mas se você estiver tendo uma recorrência, é melhor aguardar a recuperação antes de doar sangue (assim como qualquer doença).

O herpes simplex pode se tornar um caso sério de saúde?

Às vezes. Qualquer infecção pode ser séria se você tiver outros problemas de saúde. Por exemplo: Se você tiver feito um transplante de órgão, pegar um resfriado pode ser perigoso. Em outras palavras, é um risco para qualquer um com o sistema imunológico comprometido.

Portanto, herpes simplex poderá ser sério se adquirido por pessoas nas seguintes categorias:
  • Pessoas que tiveram um transplante de órgão;
  • Pessoas que estiverem em tratamento contra o câncer que atinja a imunidade;
  • Portadores do vírus HIV;
  • Pessoas com áreas extensas de problemas graves de pele. Ex: Eczema.
  • Bebês cujas mães não tiveram herpes simplex podem ser infectados. Bebês pequenos possuem sistemas imunológicos imaturos, então isso pode ser sério. Para mantê-los seguros, ninguém com crises faciais deverá beijá-los. Ter herpes genital não é nenhum problema, já que a transmissão se dá pelo contato direto com a parte infectada.

Existe mais alguma coisa que devo saber sobre herpes facial?

Sim. Existem ainda algumas complicações mais raras de acontecerem, mas que você deve estar informado:
  • A paralisia facial poderá ocorrer se certos nervos forem afetados pelas úlceras. Isto causa a perda do paladar, aparência caída da face e músculos faciais sem resposta – normalmente apenas em um lado do rosto. A paralisia normalmente se resolve em algumas semanas, mas podem durar muito mais tempo. Sentindo estes sintomas, consulte um médico o quanto antes.
  • Muito raramente, quando o vírus é adquirido na face, ele poderá ser reativado dentro do olho. Isso se chama herpes simplex oftálmica. Se isto acontecer, recorra imediatamente a um oftalmologista – se não for tratado corretamente poderá causar lesões à sua visão.
  • É extremamente raro que, quando o vírus foi adquirido na face, que ele reative no cérebro. Isto poderá causar uma encefalite (inflamação do cérebro). Os sinais são muito sutis e normalmente são caracterizados por uma ‘alteração ou diminuição de consciência’. Normalmente apenas as pessoas mais próximas notam os sintomas. Neste caso, é essencial que um médico seja consultado, visto que a encefalite pode causar danos irreversíveis ao cérebro.


REFERÊNCIAS:

  • American Social Health Associaton - http://www.ashastd.org
  • Herpes Viruses Association - http://www.herpes.org.uk
  • Centers for Desease Control and Prevention - http://www.cdc.gov
  • WebMD - http://www.webmd.com